PRIMEIRAS IMPRESSÕES| Nova série da Marvel, “Cavaleiro da Lua”, traz personagem inédito que pode cativar público

A nova série da Marvel, o “Cavaleiro da Lua”, é protagonizada pelo ator Oscar Isaac, que volta para a Disney depois de sua participação nos últimos filmes da saga Star Wars, como o piloto Poe Dameron. 

A produção é a grande aposta da MCU em apresentar um personagem inédito, onde a maioria dos espectadores não conhecem nada sobre a história de origem do anti-herói. Vale ressaltar, que a narrativa é diferente do que apresentado no trailer, que tinha uma atmosfera mais sombria, Pelo contrário, a série está longe de ser um thriller, onde o humor é muito presente, além de ser extremamente dinâmico com diversas de cenas de ação.

Em “O Cavaleiro da Lua”, acompanhamos o cotidiano de Steven Grant (Oscar Isaac), um funcionário de uma loja de souvenir, que é atormentado por apagões e memórias de outra vida. Steven descobre que tem transtorno dissociativo de identidade e divide o corpo com o mercenário Marc Spector. À medida que os inimigos de Steven/Marc se voltam para eles, ambos devem navegar em suas complexas identidades enquanto mergulham em um mistério mortal entre os poderosos deuses do Egito.

Logo no primeiro episódio, nota-se um desenvolvimento narrativo diferente da fórmula Marvel, onde é apresentado a história de forma misteriosa, criando essa confusão mental do público junto com o protagonista, que está imerso na sua loucura, sem o controle do seu corpo e sua mente. E é de forma gradativa, que conhecemos mais sobre a personalidade de Steven Grant, um homem solitário, indefeso, que vive perdido no que é realidade ou apenas um sonho. 

Os primeiros episódio mostram que coisas estranhas ocorrem com Steven, e ele não tem conhecimento, até que finalmente ele percebe que tem mais de uma identidade, o Marc, um mercenário, que é totalmente o seu oposto. E a atuação de Oscar Isaac durante a troca de personalidade é excepcional, transmitindo visualmente as mudanças de comportamento, na forma de agir, falar e andar.

Outro grande nome do elenco é Ethan Hawke que faz o vilão Arthur Harrow, um fanático religioso, que usa a sua crença para manipular e atrair seguidores para sua seita. É um personagem extremamente interessante para a trama, onde Hawke tem um ótimo desempenho.

Um dos grandes problemas da série está nos efeitos visuais, onde é impossível não reparar como o CGI têm movimentos artificiais, principalmente, na criação digital dos monstros que o protagonista enfrenta. Por ser uma produção da Marvel/Disney, existe uma cobrança maior em relação aos efeitos, sendo essa a mais fraca para o padrão esperado de um grande estúdio.  

Por fim, se “Cavaleiro da Lua” continuar no ritmo que começou, pode sim agradar o público, mesmo que os problemas dos efeitos possam incomodar os olhares mais exigentes. A história é intrigante, divertida e o elenco muito bem escalado. É uma oportunidade da Marvel apresentar novas histórias e novos personagens do seu próprio universo